quinta-feira, 17 de abril de 2014

49 anos...

É assim mesmo...
Um dia você desacelera o passo e olha para os lados. Respira fundo e olha para o alto. Não são todos que chegam nesta idade e tem a possibilidade de agradecer por ter chegado bem. Eu me sinto renovado, criativo, satisfeito e principalmente... sinto que cresci muito. A gente sempre aprende mais e mais. Ensina o pouco que sabe e continua aprendendo até o infinito. Se um dia eu consegui passar o que eu sei pra alguém já valeu a vida. Não me sinto um homem acima de ninguém. Só me sinto experiente.
É bom chegar nesta idade pois tem muitas e muitas lembranças da vida. Pessoas que me deram uma força incrível e outras que, do jeito delas, me mostraram muitos caminhos.
Acho que o que eu diria pra todos é que não importa os acertos e erros que você faz... o que importa mesmo é o esforço que fazemos para que algo dê certo. É isso que lembro mais. cada trabalho que fiz e como fiz, fica mais nítido do que o vencer e perder.
Algo que magoa são os amigos e familiares que vamos perdendo com o tempo. o tempo acaba mesmo levando tudo que a gente tem. não vou dizer que me acostumei com soo. nunca a gente se acostuma com perdas ainda mais quando são pessoas que sempre estiveram perto mas a vida é assim mesmo.
Algo que também fica marcante são as lembranças de outros aniversários com a família parece que todos os aniversários se juntam e as lembranças ficam com a gente para sempre.
Bom, hoje vou curtir como posso meu aniversário, esperar os presentes que são sempre bem-vindos. :-)
e claro, agradecer por mais um ano de vida.

abraços e hoje é festa. :-)
Adriano Siqueira

quarta-feira, 16 de abril de 2014

O poder de querer



















O poder de querer

A realidade é muito pior dos que os
contos que escrevo.

Queria eu ser um personagem,
ter meu castelo,
estar com minha princesa vampira reinando
ao meu lado.

Queria ser forte, guerreiro. lutar contra
os inimigos e e cada vitória tomar
minha princesa em meus braços
e festejar a luz da lua.

Quero ser o que sou e quero estar
presente mesmo nas linhas que escrevo.

por Adriano Siqueira

Pedido eterno



Pedido eterno

Cada beijo uma vontade a mais de desejo
que vejo e aproveito seu jeito
de ser completo e inteiro
e me faz guerreiro de seu castelo.
praticamente seu
inteiramente vampiro
que a eternidade me leve a você
e que sejamos amantes eternos

por Adriano Siqueira

terça-feira, 15 de abril de 2014

Entre Pipas e Pombos


Entre Pipas e Pombos
Adriano Siqueira

Cidade escura
vive estresse
tormento

No topo dos postes
aprecio a visão
entre pipas e pombos
vejo solidão

Centenas passam por aqui
ninguém me vê
ocupados demais para olhar
a lua, a beleza e a natureza.

Olham o celular
mas não olham o luar
nem olham as pessoas que passam
ocupadas, elas nunca vão mudar.

Alguém caiu
ninguém viu

Se eu mordo
para saciar minha sede
ninguém vê o morto.
Só a luz do celular
é permanente.

Passos Noturnos



- Passos Noturnos -
Adriano Siqueira

A janela aberta,
o balanço das cortinas
por causa do vento,
por causa da chuva.

A luminosidade dos raios
Penetram nas paredes escuras do quarto.

A silhueta de um homem
com olhar sobrenatural,
bem em frente da janela.

Seus olhos brilham,
emanam energias desconhecidas.
olham atentos
os lençóis em movimento.

Mulher encantadora que
se mexe enfeitiçada
coreografia de quem flutua.

Clama por ele.
Delira em êxtase,
em prazer, em fogo.

A chama acesa,
chama por mais.
A mulher o convida.
Feitiço dominante.

Transforma a noite fria
em uma paixão incandescente

O Aquário




Miniconto - O Aquário -
por adriano siqueira 

A água estava vermelha... também, o assassino foi lavar as mãos dentro do meu aquário. Ele matou a minha dona. ela não o queria mais, por beber demais e por ter ficado com muitas mulheres. E então esperou a oportunidade certa e a matou.

Eu me sinto apreensivo. Não posso fazer nada aqui dentro. Como é difícil ser um peixe.

Hei!!!

O safado escondeu a faca na lareira... sem arma, sem provas!

Fico de um lado para o outro sem saber o que fazer.... a policia já chegou, eles estão procurando a arma do crime. Está ali na lareira!! Está ali ohhhh.... Não adianta eles não ouvem a voz de um peixe... Que saco!

Comecei a me debater dentro do aquário, precisava fazer com que o aquário caísse na lareira, mas estava muito pesado... os policiais perceberam que eu estava inquieto e escutava um deles falar que eu era um peixe bem agitado!

O Policial colocou a mão no aquário.... então tive uma ideia... Mordi a mão dele, e ele a puxou assustado e desequilibrou levando o aquário junto.

O aquário caiu e a água foi até a lareira, apagou o fogo e teve muita fumaça a água estava quente... ai .... ai.... ui.... e eu sem respirar. Fiquei pulando ali até não ter mais forças.

O policial me pegou junto com a faca que estava debaixo de mim. mas... já era tarde; Não tinha mais forças... só consegui ouvir o policial dizendo que eu havia solucionado o caso.

Eu estou flutuando... era como se o mundo inteiro tivesse se transformado em um grande aquário... Minha dona estava ali perto da porta em pé, olhando pra mim... e me chamava...

Fui seguindo ela até que vi um brilho bem forte e entramos juntos para um outro mundo.

  ©CONTOS DE VAMPIROS - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo