quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

As histórias do vampiro Neculai em ordem cronológica


As histórias do vampiro Neculai em ordem cronológica e 
como estão sendo produzidas suas histórias.


Olá pessoal,

O Vampiro Neculai é uma entidade vampírica que se alimenta de sangue e desespero. Neste Blog você irá encontrar muitas histórias sobre ele e também conhecerá o horror que cria para dominar suas vitimas.

Vou falar um pouco sobre como estão sendo construídas as histórias do Vampiro Neculai e o estilo que estou usando.
Para quem já leu as histórias, notaram que, eu uso muito diálogo pelo celular com os personagens mas em todo texto não tem nenhum Narrador.

Como eu faço isso?
Toda a ação deve ser discriminada através dos próprios personagens deixando a produção da história bem mais rápida e desafiante pois os personagens devem sempre mostrar ao leitor tudo que está acontecendo naquele momento sem ajuda de um narrador.

É complicado escrever usando este estilo mas o resultado está aí em todo este sucesso que o Neculai tem conquistado a cada dia com os leitores.

Agradeço muito os comentários pois eles me incentivam muito a continuar suas histórias.

O Neculai vai aparecer em muitas histórias ainda pois ideias não faltam e os amigos escritores já estão fazendo alguns fanfics. Acho isso formidável e só tenho que agradecer a vocês por todo este sucesso.

Segue abaixo os links das histórias do Neculai em ordem cronológica.

1 - Um Minuto de Desespero
http://contosdevampiroseterror.blogspot.com.br/2014/12/um-minuto-de-desespero-conto-de-vampiro.html

2 - Dois Minutos de Desespero
http://contosdevampiroseterror.blogspot.com.br/2014/12/dois-minutos-de-desespero-alo-sou-eu.html

3 - Alguns Minutos de Desespero
http://contosdevampiroseterror.blogspot.com.br/2014/12/alguns-minutos-de-desespero-alo-voce.html

4 - Minutos de Desespero de um Fim de Ano
http://contosdevampiroseterror.blogspot.com.br/2014/12/minutos-de-desespero-de-um-fim-de-ano.html

5 - Segunda Noite de Desespero
http://contosdevampiroseterror.blogspot.com.br/2015/01/segunda-noite-de-desespero.html

6 - Terceira Noite de Desespero
http://contosdevampiroseterror.blogspot.com.br/2015/01/alo-neculai-esta-com-fome.html

7 - Mais desespero na terceira noite
http://contosdevampiroseterror.blogspot.com.br/2015/01/mais-desespero-de-uma-terceira-noite.html

8 - Quarto Dia de Desespero - Hora de Confessar
http://contosdevampiroseterror.blogspot.com.br/2015/01/quarto-dia-de-desespero-hora-de.html

9 - No limite do êxtase e do Desespero - A Volta de Neculai
http://contosdevampiroseterror.blogspot.com.br/2015/01/no-limite-do-extase-e-do-desespero.html

10 - A Confiança surge no Desespero
http://contosdevampiroseterror.blogspot.com.br/2015/01/a-confianca-surge-no-desespero.html

11 - Um Encontro com o Desespero
http://contosdevampiroseterror.blogspot.com.br/2015/01/um-encontro-com-o-desespero.html

12 - O Vampiro, o Ladrão e o Desespero
http://contosdevampiroseterror.blogspot.com.br/2015/01/sangue-e-desespero_26.html

13 - Fugindo do Desespero - Seu sonho pode ser sua destruição
http://contosdevampiroseterror.blogspot.com.br/2015/01/fugindo-do-desespero-seu-sonho-pode-ser.html

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------

Histórias do Neculai produzidas por outros autores.

Renato A. Azevedo
http://escritorcomr.blog.uol.com.br/
16/01/2015  - VÓ NENA E OS CAÇADORES - NECULAI E A ESCURIDÃO


-----------------------------------------------------------------------------------------------------------

GRUPO DO NECULAI NO FACEBOOK
No Facebook existe um grupo onde comento sobre o vampiro Neculai. Segue o link abaixo.
https://www.facebook.com/groups/neculaiovampiro/?fref=ts

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------


Abraços e obrigado por vocês apreciarem as histórias.
Adriano Siqueira

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Fugindo do Desespero - Seu sonho pode ser sua destruição



─ Alô!
─ Não sei quem é você mas se for amigo da Nathalia eu não tenho nada para falar. Mas... que porcaria é essa? Meu celular não desliga! Alô?  
─ Tenta tirar a bateria Raul. Vai ver que mesmo assim ele irá funcionar. Quero falar com você. 
─ O que fez com meu celular? Quem você pensa que é?
─ Meu nome é Neculai!
─ Não estou entendendo nada. 
─ A Nathalia queria casar com você. Confiou em você. Pegou todo o dinheiro dela. Toda as economias do casamento e agora vai fugir. Talvez procurar outra pessoa para cair na sua conversa. 
─ Isso não é da sua conta!
─ É sim! Eu queria ela, mas o sangue dela não estaria com o gosto que quero. Descobri o motivo dela estar e soube da sua história. Peguei o seu número de celular e estamos aqui falando alegremente.
─ Não vai me pegar. Eu já estou saindo do prédio.
─ Ah certo! É exatamente este o seu problema. Antes de ligar para você eu liguei para algumas pessoas. Pessoas que amam outras pessoas e elas fariam de tudo para mantê-las vivas. Conversei com o eletricista e ele travou seu elevador. Sei que mora no décimo andar. Será uma longa caminhada até o térreo. Vai ter que descer pelas escadas.  
─ Eu não sei quem é você mas vai pagar pelo que está fazendo. 
─ Não fique de mau humor. Pense positivo. São só 10 andares. Eu poderia empurrá-lo pela janela se eu quisesse. Mas estou te dando uma chance. Afinal sou um bom camarada. Você só tem que descer as escadas e seu carro estará na porta. Pronto! Vai estar livre para aprontar com qualquer pessoa que quiser. Simples assim.
─ Não tenho medo de você! Tá me ouvindo? 
─ Gosto de sentir você. Sua ganância por dinheiro e poder e sua obsessão de roubar os outros usando sua beleza e seu sorriso me deixa com muita vontade de sugar todo o seu sangue. Agora pegue a sua sacola cheia de dinheiro e desça as escadas e continue falando comigo.
─ Tudo bem! Tudo bem! só quero sair daqui. 
─ Só tome cuidado. 
─ Com o quê? Argh... Me feriram me cortaram! Sai... 
─ Isso Raul! Esta é a senhora Délia. Eu disse para ela que se não esfaqueasse o homem na escada ela perderia a neta. 
─ Desgraçado! estou sangrando! 
─ Continue descendo ou os outros cinco que falei pegarão você e ficará todo furado.
─ Eu vou conseguir maldito. Arghhhh
─ Vejo que encontrou mais vizinhos sedentos. 
─ Me soltem! Arghh. Eles estão com facas. Socorro!
─ Mas agora falta pouco Raul! Corre!
─ Arghhh! O corrimão de ferro está eletrificado!  
─ Ah sim! Isso é presente do eletricista. E bom correr ou não vai sobrar de você para dar o próximo golpe!
─ Falta só um andar seu maluco. Eu vou sair dessa e você nunca mais vai me encontrar. Só um andar! Eu vou ficar livre dessa loucura! Espera! Ha ha ha Neculai! Acha que essa criança na escada segurando uma pistola d´água vai me impedir? Ha ha ha! Acha que eu não faria mal a ela para conquistar meu propósito. Acha que eu tenho alguma Moral ou consciência pesada?  
─ Conto com isso Raul! 
─ Sai da minha frente fedelho! 
─ Não deveria tratar as crianças assim Raul... Ainda mais se elas estão armadas com ácido.
─ O que? NAArghhhhhhh.. Meu rosto! Meu rosto! 
─ Isso foi gostoso de ver! Você gravou isso em em vídeo Raul? queria colocar online.
─ M-maldito! V-você vai pagar! Vem aqui! Não. Como chegou tão rápido? Se afaste Vampiro... Não vai me matar não vaaaarrrggh....
─ Ah... Que cheiro maravilhosos o seu sangue tem Raul. Olha só como cada gota eu aprecio em minha boca. Você certamente é de uma safra muito rara. Pânico, Desespero, Dor, Medo... tudo junto com seu sangue que agora eu possuo. O ácido derretendo a sua pele. Dá um cheiro singular junto com todos os seus sentimentos temperados. Um jantar para poucos. Valeu cada gota.... Agora vou me divertir o resto da noite.
.
.
.
─ Alô!
─ Não faça isso Nathalia. Ele não vale sua vida.
─ Quem se importa? Fui completamente incompetente. Ninguém seria tão idiota em acreditar nesta história do Raul. Mas eu acreditei e paguei por isso. Não sei quem é você mas este mundo não me merece. E quem é você posso saber?
─ Neculai! Recuperei o seu dinheiro. Está no seu carro.
─ Mas como? Não é só o dinheiro. Meu coração, meus sentimentos a minha raiva. Isso nunca vai desaparecer.
─ Não precisa gritar Nathalia. Eu estou aqui. Você me sente?
─ S-sim. M-mas não entendo. Você estava no celular e agora bem aqui. Como faz isso?
─ Sente minhas mãos.
─ Simm! São... E-eu. M-mas. Seus olhos...
─ Eu não sou humano. Meus olhos são a minha maldição. Quem olha para eles, aceita minhas verdades. No momento, quero apenas que renasça, recomece e reconstrua sua vida.
─ S-sim. Mas p-por favor não me solte. eu...
─ Tenho que ir. A noite ainda me quer por perto...
─ M-mas eu...
Sou um assassino! Um monstro! Minha fome precisa ser saciada. De qualquer forma eu tenho seu número. Não encare este fato com alegria!  Costumo causar desespero e medo quando desejo alguém,

─ Vou estar sempre aqui Neculai.




Por Adriano Siqueira

Adriano Siqueira - Dia 14 de fevereiro 2015 - Bate papo e autógrafos na 13Profecias - Galeria do Rock

Espero vocês lá para um bate papo e autógrafos pois lá também terá alguns livros meus para adquirir.



Sábado (14/02/2015 ) tarde de autógrafos com o ilustre Adriano Siqueira criador de grandes obras literárias relacionadas ao universo vampírico.

Iniciou seu escritos em 1996 enviando seus contos por e-mail, mas com o ótimo retorno que teve criou seu site aonde divulga não só seus contos, mas também de outros escritores que abordam a mesma temática.
Adriano Siqueira ministra palestra sobre vampiros, e tem enorme participação em muitas antologias literárias relacionadas ao Mundo dos vampiros e do também do Terror como " Amor Vampiro " e " Sociedade das Sombras" e também seus escritos solos: " Adorável Noite" e " A Maldição do Cavaleiro".
A tarde de autógrafos terá início ás 14:00 e término ás 17:00.

Local:
13Profecias - Galeria do Rock
Av. São João, 439 loja 214 - 1º Piso
- Próximo ao metrô República e São Bento"


segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

O Vampiro, o Ladrão e o Desespero.



─ Alô!
─ Quer Falar com quem?
─ Karina.
─ Eu acabei de roubar o celular dela otário.
─ Então não é o seu dia de sorte.
─ Está me ameaçando cara? Quem está falando aí?
─ Neculai. E já sei seu nome Afonso. Estou vendo você na rua. A Karina está caída com a pancada que você deu na cabeça dela. Atacar minhas futuras vítimas não deixa você em boa situação. Pare de ficar olhando para os lados. Não vai me achar. Embora eu esteja bem perto de você.  
─ Vem aqui cara. Eu estou armado.
─ Guarde a arma. Vai chamar a atenção. 
─ O que você quer? Dinheiro?
─ Não... Eu quero algo mais precioso... Seu Sangue.
─ V-vcê está querendo me assustar cara? Não está conseguindo.
─ Sinto cheiro do seu medo. Posso me alimentar de você em segundos.
─ Eu não tenho medo. Mas o qu... Não n,,, Arrrghhhh 
─ Alô?
─ Desgraçado! Quebraram a minha perna! Quem foi? Quem foi? Minha perna está quebrada!
─ Vou dar uma pista. Seu nome começa com "N" de Neculai,
─ Seu maldito. Como fez isso? 
─ Eu posso mostrar novamente se quiser.
─ Não Não... me deixe em paz. Minha perna está doendo muito. 
─ Já resolvo isso!
─ Não! O que vai fazer? Como apareceu tão rápido Arghhhhhhh
─ Alô!
─ Nhhh.. Quebrou meu braçooo! Para com isso! Chama ajuda!
─ Quer minha ajuda? Posso acabar com essa dor.
─ Eu não aguento cara! Pare p-por favor! Eu não faço mais isso! Eu só quero ir para casa. Está doendo demais.
─ Você reclama demais Afonso. Vou ter que dar um jeito nisso.
─ Não não de novo n... Ahnhhhhnnnn... 
─ Alô?
Nhnnn AHH Ghdddddd
─ Esqueci que sem a língua você não pode falar. Mas você está me ouvindo mesmo caído aí com sangue para todos os lados... Sinto o cheiro.... Delicioso... só vou acrescentar um tempero.
─ Nhhhh...
─ Belas palavras. Você agora está falando como um diplomata. Sabe Afonso. Eu vi que você tem outro celular. Ele é seu. Esta mulher é sua namorada? Ela é bonita. Vamos ligar para ela te encontrar? Sou ótimo em imitar vozes.
─ NH Gh Ghhhh. 
─ Alô! Sou eu o Afonso. 
─ Oi lindo. Onde você está. 
─ Oi Roberta. Estou pertinho de você. Posso ir aí? 
─ Ah Afonso. Você sabe que meu pai não gosta que a gente se encontre de noite aqui em casa. 
─ É rapidinho prometo. Vou levar um presente para você.
─ Hum então tudo bem gato. Te espero. 
─ Ghhhh Ihhhh Ahhhhhh.
─ Quem disse isso? 
─ Não liga não amor. Tem um bêbado aqui do meu lado pedindo grana. 
─ Não dá moleza não amor. 
─ Pode deixar amor. vou matar ele e depois te ligo.
─ Você é tão brincalhão. Vou esperar você ligar.
─ Viu só Afonso. Sua namorada me ama. Vou deixar ela toda cheia de sangue igual você. Prometo que será rápido. 
─ Ghhhhh Nhhhhhh...
─ Isso! Isso mesmo! fique em pânico. entre em desespero. É este o tempero que preciso para me satisfazer. Desta vez tenho que ser rápido, pois tenho um encontro ainda esta noite. 
─ Nhhhh nhhhhhh...
─ Que sabor! Uma verdadeira iguaria. Seu sangue é uma preciosidade. Agora tenho que ir. A noite só começou. 


Por Adriano Siqueira

segue link para a próxima história do Vampiro Neculai
http://contosdevampiroseterror.blogspot.com.br/2015/01/fugindo-do-desespero-seu-sonho-pode-ser.html



terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Um Encontro com o Desespero




Um Encontro com o Desespero


─ Alô! Bruna! Onde você está? Faz quase uma hora que estou esperando.
─ Oi Cristiano! Desculpa mas eu mudei de ideia. Não podemos mais sair. 
─ Mas eu estou esperando você aqui no carro todo este tempo bem perto do seu prédio. Que aconteceu?
─ Eu estou apaixonada por uma vampiro.
─ O que? Olha, Deixa de piada que eu não estou de bom humor. 
─ Eu amo ele. Estamos juntos aqui pertinho um do outro na cama e você não chega aos pés dele.
─ Mas que droga que você andou tomando? Até ontem de trade você queria casar comigo agora vem com papo de que tem um vampiro na sua vida. Será que eu só conheço malucas na minha vida?
─ Mas ele não é qualquer vampiro. E o Neculai. Ele é tudo que eu quero.
─ Vai você e esse Neculai pro inferno. Pra mim chega dessa palhaçada.
─ Espera Cristiano. Não desliga ele quer falar com você.
─ Certo! Ok! Me passa este vampiro ai que vou falar umas para ele.
─ Já está falando comigo. Meu nome é Neculai.
─ Olha aqui cara! Você pegou minha namorada e isso não vai ficar assim não. Eu vou acabar com sua raça de vampiro! 
─ A Bruna era espertinha. Adora pegar os namorados das amigas. 
─ Do que você está falando?
─ Você é o ex namorado da Deise. Ela amava você mas os gostos dela pelo sobrenatural deixou você com medo dela ser uma maluca. Ai a amiga dela, a Bruna, apareceu e te conquistou fácil.
─ Isso não é da sua conta. A Deise era só uma garota qualquer. 
─ A Deise me deu o telefone dela. Descobri que a Bruna era uma mulher muito mesquinha e egoísta. Teve o fim que merecia. 
─ Fim? Cara do que é que você está falando? Eu acabei de falar com ela. 
─ Eu imito a voz facilmente das pessoas. Seja homem, seja m...
─ Cala a boca! Você é maluco! Se foi a Deise que te mandou então vocês dois são malucos. 
─ Sabe Cristiano... A Deise ligou agorinha para a policia dizendo que você matou a Bruna. 
─ O que? Eu não vejo ela desde ontem. Seu assassino. Agora lembrei quem você é. O vampiro Neculai que matou muita gente desde dezembro. Eu não sei o que quer de mim mas não vai levar minha vida. Eu não tenho medo de você e nem estou desesperado.
─ Você tem dez minutos para esconder o corpo da Bruna.
─ Corpo? Ma eu nem sei onde ela está?
─ A policia sabe. Esta ouvindo a sirenes? Já olhou o seu porta-malas?
─ Não é possível. Não teria como você fazer isso. Meu Deus!!! Ela está no meu porta-malas. Bruna. toda cheia de sangue. Seu assassino. 
─ Falta pouco para ser preso Cristiano.
─ Mas não fui eu! Por favor eu não tive culpa. Eu não quero ir para a cadeia. Não matei ela. 
─ Como é fácil deixar você desesperado. Passa o telefone para a Deise.
─ Mas a Deise não está aqui... espera.. o que você está fazendo sentada ai no meu carro Deise. Foi você que planejou tudo? Eu vou te matar!!!
─ Acho que não.
─ Neculai como você apareceu? Argh.
─ Olhe bem para a Deise, Cristiano. Veja o que você perdeu enquanto tomo todo o seu sangue delicioso.
─ Não! Deise! Por favor! Me Ajude! Eu te amo! A Bruna me enganou. Ela só queria me tirar de você! 
─ Faço votos que você e a Bruna fiquem juntos eternamente. 
─ Não... Não..nnnn
─ Que sangue maravilhoso. Cheio de medo e desespero. Foi um jantar delicioso.


Por Adriano Siqueira

A continuação das aventuras deste vampiro está no link:
http://contosdevampiroseterror.blogspot.com.br/2015/01/sangue-e-desespero_26.html



Segue um vídeo para curtir junto com esta história :-)

"Is There Any Love In Your Heart" - Lenny Kravitz

https://www.youtube.com/watch?v=ePRiD6RxdiI#t=37

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

A Confiança surge no Desespero


A Confiança surge no Desespero

─ Alô! Aqui é a Vanessa!
─ Eu sou o Neculai.
─ Em que posso ajudá-lo? 
─ A Deise. Sua amiga.
─ Sim. O que tem ela?
─ Ela precisava de ajuda. Ela não gostava das pessoas em geral, o que dificultou muito ter relacionamentos com pessoas normais. Ela gostava de coisas Estranhas. ou Entidades, ou monstros, etc.. . e Você disse para ela se afastar disso tudo, procurar gente socialmente normal.
─ Era o certo para a Deise. Se ela continuasse assim poderia chamar a atenção de predadores sociais,  Vampiros Emocionais, ou um aproveitador.
─ E o que é certo para você? Alguém que diz que é perfeito para a sociedade, que tem muito dinheiro, tira fotos com muitas celebridades só para parecer ser boa pessoa e no final é um oportunista egoísta? 
─ Sinceramente não vou debater com um estranho.
─ Ela gosta de mim.
─ E você é?...
─ Alguém que pode dar um pouco mais de emoção em sua vida. Você quase destruiu seu sonho de conhecer alguém como eu. Um Vampiro.
─ Você é louco e vampiros não existem. Se está usando este artifício para conquistá-la logo ela saberá que você é apenas um enganador.
─ Porque está batendo a caneta na mesa de forma tão acelerada? 
─ Não sei quem você é, mas vou desligar. Tem alguém batendo na porta.
─ Desliga e eu mostro para você como encontrar alguém como eu mais rápido do que imagina.

─ Agora você passou dos limites. 

─ É fácil falar mal do que você não conhece, não é . Alertar as pessoas para manter distância dos que são diferentes e não se encaixam nos padrões sociais. São todos monstros. Merecem distância pois jamais darão um futuro para alguém. Só que muitos destes "desajustados" se tornaram grandes pensadores da história. 
─ Isso não é um debate. 
─ Ah Vanessa. Eu certamente iria ser um ótimo amigo. Ficaria deitado neste seu sofá vermelho que está bem na sua frente contando sobre as vítimas que peguei e suguei o sangue delas enquanto estavam desesperadas. 
─ Certamente Neculai, você deveria procurar ajuda psiquiátrica. 
─ Vanessa. Se eu procurasse ajuda eu perderia a chance de saborear o seu sangue quente e cheio de desespero. 
─ Eu não me assusto tão facilmente.
─ Leia o recado que deixei na sua mesa.
─ Mas como... 
─ Leia. 
" Eu estou muito perto!" Como colocou isso na minha mesa? Meu sofá? o que você fez?
─ Rasguei seu sofá. Seu coração está acelerando. Está quase na hora. Ah e na minha rápida aparição por ai. Abri a porta para alguém entrar.
─ Pare com isso. Pare agora mesmo. Vou desligar. Que barulho é esse? Quem está ai? 
─ Sou eu. A Deise. Eu sinto muito que as coisas aconteçam desta maneira Vanessa mas se o Neculai está dizendo que não deve desligar então estou aqui para que você realmente não desligue. E você Não vai desligar! 
─ Mas porque Deise? Como pode ajudar este monstro. 
─ Eu faço tudo por ele. Tudo. Entendeu! 
─ Não diga isso. Está me assustando Deise. Você nunca foi assim. 
─ Vamos brincar juntos Vanessa. Só eu você e o Neculai. Agora fica ai sentada. Vou tirar uma arma da minha bolsa e colocar na mesa perto de você. Pronto Neculai. Está feito.
─ Ela não é um amor Vanessa. Deise quer participar do nosso jogo. Pode tentar fazer ela mudar de ideia mas verá que será inútil.
─ Deise esse homem é um manipulador, maniaco e insano.  Ele quer se divertir com nos duas. Não deixe ele fazer isso com a gente. Somos amigas. Eu considero você como uma irmã.
─ Vanessa eu sei muito bem o que estou fazendo. Estou fazendo de tudo para que o Neculai fique satisfeito. É só isso que importa. É só isso que quero. Está bem assim Neculai?
─ Perfeito Deise. Agora Vanessa. Você tem uma arma na mesa perto de você. A única maneira de acabar com todo este tormento seria atirar na Deise e sair correndo, pois ela fará de tudo para mantê-la onde está. E eu vou aparecer novamente e tomarei todo o seu sangue. Vou matá-la. Vou apreciar sugá-la completamente. Por isso, apresse-se em sua decisão, pois a minha fome esta aumentando a cada segundo. 
─ Está dando certo Neculai Ela pegou a arma.
─ Isso mesmo Vanessa! agora atire! Atire na Deise. 
...
─ Neculai... Acho que a Vanessa está querendo mudar o jogo. 
─ Não. Não faça isso Vanessa. Não aponte a arma pra sua cabeça!  Não me deixe desapontado.
─ Você não vai conseguir beber meu sangue e não terá emoção nenhuma no meu corpo se eu morrer. 
─ Como se atreve a me desafiar? 
─ Vanessa atire em mim! Eu não vou ficar chateada com você. Estou fazendo isso pelo Neculai. 
─ Esse homem precisa de uma lição Deise. Ele precisa saber que não somos seu gado. Lute comigo contra ele. Me ajude.
─ Eu... e-eu estou com medo. eu não quero que se machuque Vanessa. Me Desculpe. Me perdoa. Eu não sei o que deu em mim. Por favor me abrace. Se você for embora agora ele poderá me matar de tanta raiva. 
─ Quando essa novela terminar me avisem. Estou com muita fome. 
─ Cretino. Vai pagar pelo que esta fazendo comigo e com a Deise. ... Deise não! Largue a arma! Solta. Não!
─ Pronto Neculai. Peguei a arma da Vanessa. 
─ Você estava fingindo Deise? Não se arrepende de fazer isso com sua amiga? 
─ Eu disse que eu faria tudo por ele. Senta ai e fica quieta. E agora Neculai?
─ Mire a arma na cabeça da Vanessa e atire quando eu mandar.
─ Não por favor não!  Eu não fiz nada. Não faça isso. Deise sou sua amiga. Não atira por favor.
─ Se ela falar de novo Bata nela Deise. 
─ Sim Neculai. 
─ Antes de  morrer Vanessa. Quero ouvir a Deise falar um pouco da amizade de vocês. Deise diga algo marcante que fizeram juntas e aponte a arma para a cabeça dela.
─ Neculai. Fala de novo a palavra "Morrer" Você fala tão forte. Eu me arrepio completamente. 
─ Deise focaliza a situação e diga uma boa história. 
─ Lembra Vanessa quando eramos mais jovens passávamos trotes nos telefones para os que atendiam. Dizíamos que estávamos apaixonadas e que queríamos conhecer todo mundo. Nós rimos muito naquela tarde. Lembro que fiquei abraçada com você e não parávamos de rir. Você disse que seria a minha amiga para sempre. 
─ E-eu lembro e era verdade Deise somos amigas para sempre e sempre. Por favor abaixa a arma. Vamos dar um fim nisso juntas. 
─ Já terminou Vanessa? A Deise tem seus deveres a cumprir.
─ Seu Monstro Eu não sei o que fez com ela mas quero que você morra! 
─ Eu não fiz nada Vanessa. A Deise apenas escolheu o que era certo para ela. Tudo que ela faz agora é porque ela quer fazer. Agora chega de conversa. Deise quando eu disser a palavra "Morte" atire três vezes para ter certeza que vai acertar entendeu?
─ Simmm" Uau! Neculai. Eu vou adorar ouvir você falar "Morte" novamente.
─ Deise! Não! Na...
─ Morte! Morte! Morte! 
Clec Clec Clec.
─ D-descarregada? Q-quem? Neculai! C-como você veio? 
─ Isso mesmo Vanessa. 
─ A-apareceu t-tão rápido? ALGU...
─ O gosto do seu sangue está magnifico. A mordida do pescoço foi rápida. Quase não percebeu Vanessa. Uma pena que o seu tempo acabou. Vou deixar o seu corpo deitado no sofá. Assim poderemos falar um pouco mais sobre sua vida. Ou seria morte? 
─ Neculai... me pegou de surpresa dizendo esta palavra assim. Eu não sabia que a arma estava descarregada.
─ Não quis arriscar perder um sangue quente. Onde será que a alma da Vanessa está agora? Limbo? Inferno? Matrix?... Não importa. Tenho uma lista de novos amigos para visitar.
─ Posso tocar em seu rosto novamente Neculai?
─ Está cheio de sangue da sua amiga. 
─ Não tem importância. 


Por: Adriano Siqueira

a próxima história do vampiro Neculai está neste link: 
http://contosdevampiroseterror.blogspot.com.br/2015/01/um-encontro-com-o-desespero.html

  ©CONTOS DE VAMPIROS - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo